Procuradores citam desrespeito ao MPF e fazem ato em Cuiab

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:8.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
line-height:107%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,sans-serif;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-language:EN-US;}

Procuradores do Ministério Público Federal (MPF) realizam um ato em Cuiabá, nesta segunda-feira, às 14h, na sede da Procuradoria da República em Mato Grosso. A mobilização está sendo convocada em todo o País pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR).

 

A intenção da diretoria e do Colégio de Delegados da ANPR é o de reforçar a posição da carreira em defesa dos princípios democráticos e institucionais do MPF.

O principal descontentamento ocorre já que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) escolheu para o comando da Procuradoria-Geral da República, Augusto Aras, que não compunha a chamada lista tríplice.

 

Na última quinta-feira, a ANPR publicou manifestação pública de contrariedade à escolha de um procurador-geral da República que não tenha participado de debates públicos e da eleição interna promovida pela categoria.

 

Para a entidade, o desrespeito à lista tríplice foi o maior retrocesso institucional e democrático do MPF em 20 anos.

 

A ANPR ainda conclamou os membros do MPF a se manterem em estado permanente de vigilância e atenção na defesa dos princípios da autonomia institucional, da independência funcional e da escolha de suas funções com observância do princípio democrático.

 

Após o ato, haverá coletiva de imprensa com a presença do procurador-chefe do MPF/MT, Gustavo Nogami, e do delegado da ANPR em MT, Bernardo Meyer Cabral Machado.