Quatro são sequestrados e mortos em Aripuanã; mãe e filho entre as vítimas

Quatro pessoas foram sequestradas e executadas durante uma chacina, ocorrida em um garimpo ilegal na zona rural da cidade de Aripuanã (1.002 km de Cuiabá), na última segunda-feira (23). O corpo delas foi encontrado carbonizado, após o pai de uma das vítimas relatar o desaparecimento. Apenas uma pessoa foi poupada.

As vítimas da chacina foram identificadas como: Deuzilene Tavares, de 40 anos, conhecida como “Babalu”, o filho dela, Luiz Felipe Viana Antônio da Silva,19, Leôncio Gomes, 40 e Jonas dos Santos, de 25 anos.

Narra o boletim de ocorrências que o grupo estava saindo do garimpo ilegal, quando foi abordado pelo grupo criminoso. Todos foram sequestrados, algemados e no meio do caminho informados que seriam executados.

Apenas uma pessoa foi poupada da chacina. As vítimas foram encontradas carbonizadas, assim como o veículo utilizado no crime pelos bandidos. Os corpos foram localizados após o pai de Jonas relatar o seu desaparecimento.

Foi a pessoa poupada pelos bandidos quem contou sobre a execução. O caso é investigado pela Polícia Civil, que ainda não informou sobre a possível motivação.

 

Quatro pessoas foram sequestradas e executadas durante uma chacina, ocorrida em um garimpo ilegal na zona rural da cidade de Aripuanã (1.002 km de Cuiabá), na última segunda-feira (23). O corpo delas foi encontrado carbonizado, após o pai de uma das vítimas relatar o desaparecimento. Apenas uma pessoa foi poupada.

As vítimas da chacina foram identificadas como: Deuzilene Tavares, de 40 anos, conhecida como “Babalu”, o filho dela, Luiz Felipe Viana Antônio da Silva,19, Leôncio Gomes, 40 e Jonas dos Santos, de 25 anos.

Narra o boletim de ocorrências que o grupo estava saindo do garimpo ilegal, quando foi abordado pelo grupo criminoso. Todos foram sequestrados, algemados e no meio do caminho informados que seriam executados.

Apenas uma pessoa foi poupada da chacina. As vítimas foram encontradas carbonizadas, assim como o veículo utilizado no crime pelos bandidos. Os corpos foram localizados após o pai de Jonas relatar o seu desaparecimento.

Foi a pessoa poupada pelos bandidos quem contou sobre a execução. O caso é investigado pela Polícia Civil, que ainda não informou sobre a possível motivação.