Secretaria Municipal de Saúde divulga o 11º Informe Epidemiológico de 2021 sobre a Covid-19

A edição leva em consideração os casos registrados de 14 de março de 2020 até 20 de março de 2021

Desde o registro dos primeiros casos em Cuiabá, a Secretaria Municipal de Saúde, com apoio de pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso, publica semanalmente o Informe Epidemiológico sobre a COVID-19, com o objetivo de monitorar o padrão de morbidade e mortalidade e descrever as características clínicas e epidemiológicas dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave – SRAG – pelo SARS-Cov-2 em residentes no município de Cuiabá. Dando continuidade à divulgação de informações sobre a COVID-19 em Cuiabá, esse é o 50º informe produzido, no qual apresentamos as informações desde a data da notificação do primeiro caso em Cuiabá até a 11ª Semana Epidemiológica (SE), compreendendo o período de 14 de março de 2020 a 20 de março de 2021.

Diante do quadro epidemiológico e da sobrecarga da rede de assistência na capital apresentados neste e nos últimos informes publicados é essencial ampliar e fortalecer as medidas de distanciamento físico e social, uso de máscaras e higienização das mãos, promulgadas desde o início da pandemia como medidas preventivas eficazes contra a COVID-19. 

Destaques do período de 14 de março de 2020 a 20 de março de 2021

– Foram registrados 61.736 casos de COVID-19 residentes em Cuiabá, 90,0% recuperados; 5.118 internações e 1.810 mortes. Nesta semana (SE 11) foram notificados 1.276 casos e 108 óbitos.

– A média de casos nas três primeiras semanas de março de 2021 (1.923,0/semana) já supera as médias semanais dos meses de fevereiro (1.474,8), janeiro (1.569,8) e dezembro de 2020 (1.224,8).

– O risco de infecção é maior para indivíduos de raça/cor preta/parda (9.426,2/100.000 habitantes) quando comparado com os de raça/cor branca (5.622,5/100.000 habitantes).

– A taxa de incidência é mais elevada entre 30 a 39 anos, contudo as taxas em crianças, adolescentes e jovens de 20 a 29 anos foram as que mais cresceram desde 18/julho/2020 – 1.105%, 1.757% e 1.167% respectivamente, evidenciando aumento superior do risco de infecção nesses grupos etários quando comparado com os demais. O risco também é maior para o sexo feminino.

– A média de permanência hospitalar foi de 11 dias e o intervalo entre o início dos sintomas e a internação foi de 7,5 dias.

– Aproximadamente 10% das crianças e adolescentes internados e cerca de metade dos idosos internados foram a óbito.

– Desde dezembro de 2020 tem se registrado o aumento de mortes, e esse padrão tem persistido até esta última semana de março de 2021. O número de óbitos nas três primeiras semanas de março de 2021 (SE 09 a 11 – 28 de fevereiro a 20 de março) apresentou quantitativo semelhante ao observado no pico de mortes do ano de 2020 (SE 27 a 29 – 28 de junho a 18 de julho).

– Em 20 de março a taxa de ocupação de leitos de UTI adulto dos hospitais de Cuiabá foi 91,4%, e este índice tem se mantido nesse patamar nos últimos dias, atingindo 100% de ocupação. Todos os leitos de UTI infantil estavam ocupados e a taxa de ocupação de leitos de enfermaria (58,1%) foi também mais elevada que a última semana (13 de março).

Por ROBERTA PENHA