Selma afirma que seu afastamento atender a interesses obscuros e irá se dedicar à advocacia

Por Esportes & Notícias

Oficialmente cassada nesta quarta-feira (15), a juíza aposentada Selma Arruda (Podemos) acredita que foi injustiçada e teve eu direito cerceado. Pontua que irá se dedicar à advocacia e ajudar pessoas a não serem perseguidas como ela foi. O desabafo ocorreu em rede social, logo após o Senado oficializar sua saída do cargo.

Em nota, ela afirmou que seu afastamento atendeu a interesses obscuros e o processo correu cheio de ilegalidades.

“Selma acredita que vontades políticas com evidentes intenções obscuras prevaleceram no seu julgamento, o que fere a soberania do sufrágio popular e a obediência aos princípios do contraditório e ampla defesa”, diz trecho da nota publicada na rede social na ex-senadora.

A cassação da política ocorreu em abril do ano passado, mas inúmeros recursos fizeram com que somente agora o afastamento fosse efetivado.

“A partir de agora, Selma irá se dedicar à advocacia e lutar para que outros cidadãos não tenham seus direitos cerceados como ocorreu no seu caso”, completa o comunicado.

Selma foi condenada por caixa 2 e abuso de poder econômico nas eleições de 2018. Ela fez propaganda antes da hora e também pesquisas de popularidade. Além disso, ela não declarou R$ 1,2 milhões usados na campanha.

Mesmo antes de anunciar a candidatura ao cargo no Legislativo, conduta na magistrada a frente da 7º Vara Criminal já era apontada como política. Segundo réus em ações decididas por ela, a juíza conduzia suas ações visando a carreira política.