Teich afirma que liberação de academias, barbearia e cabeleireiros não passou pelo MS

Reprodução

image

O ministro da Saúde, Nelson Teich, foi pego de surpresa nessa segunda-feira (11.05), durante coletiva, ao ser informado pela imprensa sobre a decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de classificar academias, barbearias e salões de beleza como atividades essenciais.

Indagado sobre a decisão de Bolsonaro, Teich se mostrou confuso e questionou: Saiu hoje isso?. Ao receber a confirmação da imprensa, o ministro disse que a decisão não passou pelo Ministério da Saúde. Em seguida, acrescentou que essa não é atribuição da pasta. “Não, isso aí não passou. Não é atribuição nossa. Isso é uma decisão do presidente”, disse.

Teich afirmou que a decisão de classificar ou não uma atividade como sendo essencial é do Ministério da Economia. Ainda, segundo ele, é necessário que o retorno dessas atividades ocorra de uma forma que proteja as pessoas. “Só uma coisa: decisão de atividades essenciais é definida pelo Ministério da Economia. O que eu realmente acredito é que qualquer decisão que envolva a definição como essencial ou não, passa pela capacidade do Ministério da Economia de fazer isso de uma forma que proteja as pessoas. Mas, só para deixar claro, isso é uma decisão do Ministério da Economia, não é nossa”, disse.

Entenda – Nessa segunda-feira (11.05) o presidente Jair Bolsonaro afirmou em frente ao Palácio da Alvorada que assinou um novo decreto em que classifica academia, barbearias e salões de beleza como atividades essenciais, permitindo assim, o funcionamento desses setores. Ainda segundo o presidente, a decisão está prestes a ser publicada no Diário Oficial da União.

Veja vídeo