Traficantes tentam subornar a PM com R$ 100 mil para não serem presos com maconha skank

Por Esportes & Notícias

Dois homens foram presos no final da noite de quarta-feira (3), mas a ocorrência só terminou no meio da madrugada desta quinta-feira (4), porque começou na região do ZeroKM, em Várzea Grande, e terminou na região do Coxipó, em Cuiabá. Foram apreendidos mais de 70 tabletes de maconha skank e 300 pacotes, estilo “trouxinhas” do mesmo entorpecente prontas para serem entregues.

O caso começou quando os policiais do GAP do 4º Batalhão abordaram o primeiro suspeito na região do Zero KM, no bairro Jardim Potiguar. O motorista do carro se negou a parar na primeira ordem e seguiu por mais 100 metros, até que foi abordado. Muito nervoso, ele tentou despistar os policiais do que estava acontecendo, mas mesmo assim foi abordado.

Com ele no carro foi encontrado mais de R$ 1 mil em dinheiro e algumas trouxinhas da droga. Ele disse que não morava em Várzea Grande, mas sim em Cuiabá e por isso os policiais foram até sua residência. Chegando lá, a esposa não sabia do que se tratava. Ela nem desconfiava que o marido era traficante. O homem inclusive mantinha uma segunda linha de telefone, exclusivamente para o tráfico. Além disso, mais drogas foram encontradas dentro da vasilha de ração dos cachorros.

Mediante localização, ele disse que contaria onde estava o restante da droga. Na segunda casa, os policiais localizaram o segundo traficante e uma geladeira lotada de entorpecentes. Na casa funcionava uma verdadeira refinaria da droga. Eles tinham de tudo. De balança de precisão a semente que era utilizada na mistura e faz a maconha skank ser diferenciada.
O segundo traficante chegou a dizer que se os policiais os deixassem livres, R$ 100 mil seriam depositados na conta
dos PMs. Sendo R$ 50 mil hoje e mais R$ 50 mil no fim de semana.

Um advogado também chegou na casa, se passando como defensor dos dois traficantes, porém ele apenas acompanhou a condução de seus clientes. Segundo informações da PM, essa droga era ramificada da Colômbia para o Brasil. O cartel responsável pela distribuição ainda não foi localizado ou identificado, mas agora o caso passa a ser investigado pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE). A dupla foi levada para a Delegacia, onde prestaram depoimentos e ainda manhã desta quinta-feira serão transferidos para uma unidade penitenciária. Eles foram autuados por tráfico internacional de drogas, tentativa de suborno e direção perigosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *