Traficantes vendiam drogas pelo Whats e aceitavam at carto

Dois traficantes que divulgavam o comércio de drogas por meio do aplicativo WhatsApp foram presos em flagrante peça Polícia Civil a quinta-feira (09) em ação da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF) de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá).

 

Os dois suspeitos foram flagrados com porções de entorpecentes e apetrechos relacionados ao comércio ilícito e foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

 

O ponto de venda de drogas, localizado no bairro Jardim São Bento, era monitorado há cerca de um mês pelos policiais da DERF Rondonópolis, desde o recebimento de diversas informações que os suspeitos comercializavam maconha e outras substâncias ilícitas no local.

 

Segundo o delegado Santiago Rozendo Sanches e Silva, responsável pelas investigações, a principal forma de divulgação e comércio do entorpecente seria por meio de grupos de WhatsApp e os traficantes utilizavam máquinas de cartão de crédito para realizar a venda da droga.

 

Durante monitoramento da residência, os policiais constataram a grande movimentação de pessoas entrando e saindo rapidamente, caracterizando a venda de drogas no local.

 

Nesta quinta-feira, a equipe da DERF recebeu informações de que os suspeitos estariam com grande quantidade de entorpecentes já preparada para venda. Diante das informações, os policiais foram até a residência, onde realizaram a abordagem dos suspeitos.

 

Em buscas na casa, os policiais encontraram dentro do guarda-roupas a máquina de cartão de crédito utilizada no comércio ilícito. No quintal da residência, foi apreendido um pedaço grande de maconha, 64 porções menores já embaladas para venda, uma balança de precisão, uma embalagem com um comprimido de ecstasy, além de R$ 274 em dinheiro, tesoura e rolos de plástico filme.

 

Questionados, os suspeitos confessaram a atuação no comércio de entorpecentes e que repartem o lucro das vendas. Também foram apreendidos os celulares dos traficantes, em que foram identificadas evidências da divulgação da venda do entorpecente.

 

Diante das evidências, os suspeitos foram conduzidos a DERF onde após serem interrogados, foi lavrado o flagrante dos suspeitos por tráfico de drogas e associação para o tráfico.