Vôlei de praia do Brasil conta com 8 duplas em terceira etapa seguida no México

As areias de Cancún, no México, continuam movimentadas com o vôlei de praia. Após a realização de dois dos três eventos programados do Circuito Mundial no balneário, as duplas brasileiras se preparam para a disputa do terceiro torneio de nível quatro estrelas, que começa já nesta quarta-feira. O Brasil contará com oito duplas – quatro no feminino e quatro no masculino.


O primeiro dia é reservado ao qualifying, etapa em que as duplas de ranking inferior jogam partidas eliminatórias de olho nas últimas oito vagas no torneio principal. Nesta fase estarão Bárbara Seixas/Carol Solberg, Pedro Solberg/Arthur Lanci e Guto/Arthur Mariano representando o Brasil. Bárbara e Carol venceram Tainá/Victoria no country quota por 2 sets a 0 (21/13 e 21/19).

“Estou muito feliz. Jogamos muito tranquilas. Nós sabemos que country quota nunca é fácil ainda mais contra a Tainá e a Victoria. Elas são novas, mas jogam juntas há muito tempo. Nosso time é novo e ainda está criando uma identidade. Estamos construindo essa forma de nos conhecer nesse processo. Sabemos que temos pontos para jogar o ranking e participar do country quota até hoje é muito duro. Estamos na terceira semana, já desgastadas física e emocionalmente, mas a nossa equipe está muito focada em dar o nosso melhor e aproveitar o máximo enquanto estivermos aqui. Espero manter essa energia amanhã no qualifying”, disse Bárbara Seixas.

Caso se classifiquem estarão na chave de grupos juntos com as parcerias de melhor ranking. Os brasileiros já garantidos nesta fase são as duplas olímpicas Alison/Álvaro Filho, Ágatha/Duda e Ana Patrícia/Rebecca. Completam a lista André/George e Talita/Taiana, que conquistaram o título do primeiro evento.

Todos os três torneios em Cancún contam pontos para a corrida mundial por vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 e distribuirão aproximadamente US$ 900 mil dólares (o equivalente a R$ 5,1 milhões) juntos. As duplas vencedoras somarão 800 pontos no ranking mundial.

O esquema montado na bolha mexicana envolve isolamento absoluto dentro das dependências do hotel. Todos os atletas, membros de comissões técnicas, arbitragem e demais envolvidos nos torneios não poderão sair antes do término ou eliminação do último torneio. Para entrar, cada indivíduo precisa apresentar exame prévio do tipo RT-PCR, e realizar novo exame ao chegar, desta vez do tipo antígeno, que será repetido a cada três dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *