Wajngarten admite impacto de frases de Bolsonaro

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – Em depoimento à CPI da Covid, o ex-secretário de Comunicação Fabio Wajngarten, após ser questionado sobre o impacto das falas negacionistas de Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou que não sabe o alcance da fala do presidente.


Wajngarten foi pressionado pelo relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), mas tentou por várias vezes se esquivar da pergunta.

“Eu acho que os atos do presidente pertencem a ele; não posso especular o que passava na cabeça dele quando ele falou isso [sobre críticas a medida sanitária e vacinação]. Eu não sei qual o alcance de uma fala presidencial; as frases de um presidente são carregadas pelos veículos de comunicação”, afirmou o ex-secretário.

Wajngarten depois reconheceu que as falas do presidente tem certo “impacto” e que, eventualmente, houve campanhas para “contrapor” declarações.

“O impacto de uma mensagem é composto por várias formas de emulsão da mensagem, a fala do presidente é uma, a minha campanha é outra, a campanha de rádio é outra. Eu vou dizer ao senhor: ‘Tem impacto? Tem impacto, a gente faz campanha para contrapor, a gente faz campanhas para complementar'”, disse.

“O presidente é o líder máximo da nação, combinado com as outras formas de recebimento de mensagem formam a decisão na cabeça da população e da audiência a que ele se refere. Tem muita gente que não escuta o presidente. Para cada público alvo, para cada pessoa que recebe a informação tem um impacto diferente”, completou.